Como já ressaltei antes sou uma covarde nata tenho dom para covardia.

Um dos meus medos que não citei antes é o medo da chuva, tempestades para ser mais exata.

Quando eu tinha meus 14 anos, a casa onde eu morava não era uma grande maravilha, já que qualquer chuvinha as goteiras começavam e era tal de balde pra lá e pano pra cá, mas o Deus nos acuda vinha mesmo quando caia uma boa tempestade com raios e trovões.

Ai sim, não tinha balde e pano que desse jeito, a água subia ao ponto de minha mãe acorda eu e minha irmã no meio da noite para levantar a geladeira, fogão e a máquina de lavar.

Nessas tempestades ganhávamos nossa própria piscina, que ficava na área de serviço e parte do banheiro.

Dizem que os alagamentos ocorrem em ruas sem estrutura, tudo isso é papo furado, já que minha antiga casa ficava localizada em uma rua praticamente impecável, só pecava com a péssima iluminação e a falta de gente da minha idade, uma rua dominada pelos cabelos grisalhos, mas voltando:

As ruas paralelas a que eu morava enchiam e os meus adoráveis vizinhos diziam que as chuvas eram castigo dos céus.

Para falar a verdade eu tinha pavor das tempestades, tinha medo pelas pessoas que viviam perdendo tudo, seus bens e o que mais importava membros de suas famílias com as enchentes.

Mas eu tinha certeza de uma coisa e ainda tenho os mesmos vizinhos que diziam ser castigo dos céus eram os mesmos que jogavam entulhos nos terrenos ao lado de suas próprias casas e quando a chuva vinha e carregavam os entulhos entupindo os bueiros começavam as reclamações de que os céus estavam contra eles.

Mas a realidade é que nos mesmo fazemos isso, cada vez que jogamos um simples papel de bala estamos contribuindo para próxima enchente que ocorrerá. Temos ainda o péssimo hábito de disser “a um simples papelzinho não faz a diferença”.

Afirmamos que um ser humano faz toda diferença, lutamos por esse ideal e o jogamos pela janela com essa frase ridícula

Todo ser humano faz total diferença

Devemos fazer a diferença evitando ao máximo jogar qualquer dejeto nas ruas, assim evitamos novas enchentes e novas lágrimas de famílias que perderam tudo.


E por favor, parem de culpa os céus. O castigo vem de nossas próprias ações!


4 comentários:

Emilly disse...

Concordo plenamente
''Todo ser humano faz total diferença''
Total!!

hg. disse...

O meu pavor da chuva tem outro motivo, haha. Lindo texto.. Nós mesmos quem provocamos tantas catástrofes e culpamos a natureza. Adorei seu blog! =*

Caroll disse...

eh verdade, o lixo contribui muito para os alagamentos.
Meu pai mora em niteroi, RJ e as ruas sempre alagam tb, ainda bem que ele mora no 7º andar.

Flor de Liz disse...

Que lindo seu blog!
E sabe, eu amo a chuva, mas quando as tempestade vem me dá uma aflição...
Sem contar as catástrofes que acontecem em tempestades, né?
Isso que mais me deixa triste!
Mas, você tá certíssima, tirando que é um castigo dos céus sim, para nossas terríveis ações de poluir!!
Adorei aqui, sempre que der, visitarei! :*

Postar um comentário